Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia – Andrea G. dos Santos

Iniciamos na segunda semana de julho a Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia. Hoje publicamos o oitavo depoimento.

A associada Andrea Gonçalves dos Santos relata o impacto da pandemia da Covid-19 no seu trabalho arquivístico.

Os depoimentos são publicados às quintas-feiras no site da AARS.

Andrea Gonçalves dos Santos
Arquivista FURG
Rio Grande, Rio Grande do Sul
Associada n. 266 da AARS

Qual o seu local de trabalho como arquivista?
Trabalho na Coordenação de Arquivo Geral, subordinada a Pró-Reitoria de Planejamento e Administração – Proplad da Universidade Federal do Rio Grande – FURG

Quais atividades desenvolvia antes da pandemia?
Antes da pandemia realizava atividades gerenciais e operacionais relacionadas à gestão documental da instituição: desenvolvia atividades intelectuais relacionada ao cargo (políticas, instruções normativas, relatórios), prestava orientação técnica quanto à classificação e avaliação de documentos, desenvolvia projetos de ensino e extensão, coordenava o trabalho voluntário de acadêmicos, supervisionava estágios obrigatórios realizava visitas guiadas e participava de diversos grupos de trabalhos e comissões.

A pandemia mudou a sua rotina de trabalho? Se sim, conte-nos o que mudou.
Com certeza a pandemia mudou a rotina de trabalho. Do ponto de vista operacional, inviabilizou as atividades de gestão documental que eram realizadas na Coordenação. Esta nova realidade (distanciamento social, home office, trabalho remoto) me fez questionar sobre o papel do arquivista envolvido nos processos e na transformação digital. A necessidade iminente desta transformação, onde por um lado, os processos devem ser confiáveis, onde é imperativa a implantação de sistemas informatizados para a produção, gestão, e acesso de documentos nato digitais que assegurem a sua preservação a longo prazo, por outro lado, ainda preocupados com a preservação dos documentos arquivísticos em diferentes suportes, nos força a repensar estratégias e decisões.

Depois que a pandemia passar, como será a volta ao trabalho? Que rotinas pretende retomar e quais manterá?
Esta pandemia mostrou que não seremos as mesmas pessoas que antes… ela forçou mudanças, reinvenções, modificações de pensamentos e atitudes. Provocou a nossa “saída para a sociedade”, onde cada vez mais os profissionais, estudantes e associações de classe estão ocupando a internet e as diversas redes sociais com discussões necessárias… Acredito que seja um caminho sem volta, onde estaremos universalizando o conhecimento e trabalhando em prol dos arquivos e do acesso à informação arquivística. E nosso retorno? Deverá ser o mais cuidadoso, o mais planejado e discutido possível. Com certeza, com muitos mais desafios… instrumentalizar o Sistema de Arquivos, procurar novas soluções para antigos problemas, reorganizar prioridades e sempre se preparando e capacitando.

Você pode gostar...