Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia – Daniela Francescutti M. Hott

Iniciamos na segunda semana de julho a Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia. Hoje publicamos o vigésimo primeiro depoimento.

A associada Daniela Francescutti Martins Hot relata o impacto da pandemia da Covid-19 no seu trabalho arquivístico.

Os depoimentos são publicados às quintas-feiras no site da AARS.

Daniela Francescutti Martins Hot
Arquivista na Câmara de Deputados
Brasilia, DF.
Associada n. 98 da AARS

1. Qual o seu local de trabalho como arquivista?
Sou Analista Legislativo em Documentação e Informação – Arquivista, sou da primeira turma de concursados para Arquivista na Câmara dos Deputados e entrei fora da cota pois como sabem sou pessoa com deficiência auditiva, tenho perda neurossensorial severa profunda progressiva bilateral. Comecei na seção de documentos audiovisuais da Coordenação de Arquivo em junho de 1998, passei por várias unidades administrativas, entre elas a seção de avaliação de documentos, secretaria da comissão de avaliação de documentos de arquivo, serviço de arquitetura da informação e desde 2015 integro a equipe multidisciplinar da Coordenação de Acessibilidade da Câmara dos Deputados, estamos hierarquicamente vinculados à Diretoria-Geral.

2. Quais atividades desenvolvia antes da pandemia?
Minha atividade principal é garantir que todos que atuam, trabalham, visitam ou naveguem na Câmara e no Portal da Câmara dos Deputados possam exercer de fato o direito de acesso à informação daí a importância de olharmos a Lei de Acesso à Informação (LAI) entrelaçada com a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI). Atrelada à essa atividade participo, desenvolvo e promovo, além de sugerir cursos de capacitação de todos da Casa sempre com o viés na garantia da promoção de acesso a todos.

3. A pandemia mudou a sua rotina de trabalho? Se sim, conte-nos o que mudou.
A pandemia enfatizou ainda mais a importância de exponenciarmos as garantias de acesso à informação para todos pois como sabemos a informação pública é um direito de todos, e neste direito temos que englobar também as pessoas com deficiência que representam conforme consta no último censo do IBGE, o de 2010 aproximadamente 1/4 da população brasileira. Com as recentes promulgação das leis e suas regulamentações, tais como a IoT (Internet das Coisas), a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e inclusive a questão da junção dos serviços governamentais para o cidadão como e-social, e-título e entre outros serviços informacionais de acesso, como os arquivos históricos no ambiente web, esses também têm que garantir o acesso com os requisitos de acessibilidade. A pandemia evidenciou que não só as pessoas com deficiência têm dificuldade no acesso à essa informação no modo virtual, assim como que uma boa parte da população também enfrenta a mesma dificuldade em ter seus direitos básicos assegurados nesta proposta virtual. E essas questões já vem sendo pontuada em diversos relatórios de organismos internacionais como o Banco Mundial, com o Relatório: Dividendos Digitais publicado em 2016 e a UNESCO em 2020, com o Relatório de Monitoramento Global da Educação: América Latina e Caribe – Inclusão e Educação: todos, sem exceção. Então respondendo a pergunta sim a pandemia mudou em muitos aspectos nossa rotina de trabalho, pois oportunizou e continua oportunizando o conhecimento e a interação de diversas ferramentas e plataformas virtuais. E eu como profissional de informação, sou arquivista, como pesquisadora, pois estou no curso de Doutorado em Ciência da Informação na Universidade de Brasília (UnB), como pessoa com deficiência e também como mãe de uma teen com deficiência, meu olhar para essas plataformas demonstram o quanto ainda temos que avançar para de fato garantirmos as informações de maneira simples para todas pessoas. Então convido vocês a ampliarem cada vez mais esse olhar, pois uma de nossas funções como arquivista é garantir o acesso à informação.

4. Depois que a pandemia passar, como será a volta ao trabalho? Que rotinas pretende retomar e quais manterá?
Pergunta difícil essa, rsrsrsrs. Todo momento de reclusão, a humanidade anda a passos largos, então creio que após essa pandemia não haverá volta às rotinas de sempre, haverá sim ampliação das rotinas que já estamos implementando. O ser humano sempre agrega, soma. Então como gosto de finalizar, juntos, Somamos.

Você pode gostar...