Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia – Marcele Della Flora Cortes

Iniciamos na segunda semana de julho/2020 a Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia. Hoje publicamos o quadragésimo terceiro depoimento.

A associada Marcele Della Flora Cortes relata o impacto da pandemia da Covid-19 no seu trabalho arquivístico.

Os depoimentos são publicados às quintas-feiras no site da AARS.

Marcele Della Flora Cortes
Arquivista Prefeitura Municipal
Santo Angelo, RS.
Associada n. 528 da AARS

1. Qual o seu local de trabalho como arquivista?
Sou arquivista responsável pelo Arquivo Geral da Prefeitura Municipal de Santo Ângelo – RS.

2. Quais atividades desenvolvia antes da pandemia?
Antes da pandemia eu prestava serviço na organização do arquivo pessoal de uma família de Santa Maria. No início da pandemia comecei a trabalhar em uma instituição privada que não permite a divulgação sobre as atividades que realizava. Estava nesta instituição quando, final de janeiro fui chamada para assumir a vaga de arquivista na prefeitura de Santo Ângelo, a qual aguardava a convocação. Hoje sou responsável pela gestão do Arquivo Geral do município, onde ainda estou identificando falhas, elaborando diagnósticos, visitando as secretarias e conhecendo seus acervos. Ao assumir o cargo, me foi passado a necessidade de otimização dos espaços desses acervos. Desta forma estou trabalhando para logo, iniciar um levantamento documental das secretarias que são em número de onze, e então desenvolver um plano de classificação e tabela de temporalidade para a adequada eliminação dos documentos que ultrapassaram seus prazos de guarda.

3. A pandemia mudou a sua rotina de trabalho? Se sim, conte-nos o que mudou.
Acredito que a pandemia mudou a rotina de todos em muitas esferas. Particularmente, além das relações pessoais e profissionais que se davam de forma mais próximas, não reconheço mudanças maiores por iniciar empregos justamente durante a pandemia. No caso do arquivo da prefeitura, em conversa com colega, antes da pandemia quando a administração solicitava documentos, esses eram escaneados, impressos e entregues diretamente ao servidor solicitante. Hoje, esse processo é feito através de digitalização e envio através de e-mail. Alguns setores trabalham com revezamento dos funcionários, porém no arquivo, como somos em dois funcionários, essa proposta não é necessária.

4. Depois que a pandemia passar, como será a volta ao trabalho? Que rotinas pretende retomar e quais manterá?
Penso que o retorno as atividades como se davam anteriormente a pandemia, acontecerá aos poucos. As propostas que vieram para tornar algumas atividades mais práticas e simples, imagino que serão mantidas. Além das questões de higienização que se tornaram, mais do que nunca, primordiais, a volta ao convívio com as pessoas fará com que as trocas de conhecimento enriqueçam as abordagens que poderão ser aplicadas e adotadas não só pelo arquivo geral, mas pelos acervos nas demais secretarias.

Você pode gostar...