Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia – Roberta P. Medeiros

Iniciamos na segunda semana de julho a Série AARS Depoimentos: Arquivos na pandemia. Hoje publicamos o sétimo depoimento.

A associada Roberta Pinto Medeiros relata o impacto da pandemia da Covid-19 no seu trabalho arquivístico.

Os depoimentos são publicados às quintas-feiras no site da AARS.

Roberta Pinto Medeiros
Professora da FURG.
Rio Grande, Rio Grande do Sul
Associada n. 269 da AARS

1. Qual o seu local de trabalho como arquivista?
Como professora do curso de arquivologia da FURG, meu local de trabalho envolve salas de aula, laboratórios técnicos, campus da Universidade – de um modo geral, arquivos (visitas técnicas com os acadêmicos) e locais de estágio.
2. Quais atividades desenvolvia antes da pandemia?
Antes da pandemia eu estava afastada para capacitação – doutorado, o qual finalizei em março, durante a pandemia. Portanto, estava focada da defesa da tese e após com os procedimentos naturais de um encerramento de afastamento e entrega da tese.
3. A pandemia mudou a sua rotina de trabalho? Se sim, conte-nos o que mudou.
Sim, a pandemia mudou bastante a rotina de trabalho. O que antes se fazia de 80 a 90% presencial, e agora, quase que na totalidade, as atividades, atendimentos a alunos e reuniões passaram a ser virtual. Acredito que o maior problema dessa mudança, foi sua abrangência radical, não foi lenta nem gradual, foi de um dia para o outro já tivemos que pensar em realizar e desenvolver as atividades virtualmente. Somente agora, passado três meses, quase quatro, que estamos colocando nos eixos e planejando um futuro, principalmente, para os acadêmicos.
4. Depois que a pandemia passar, como será a volta ao trabalho? Que rotinas pretende retomar e quais manterá?
Penso que, ao retorno das atividades presenciais na universidade, nada será como era antes. Haverá protocolos de prevenção, alternativas (escalas diferentes) de horário para evitar aglomerações de pessoas nas unidades acadêmicas. Quanto as aulas ainda há muitas incertezas que precisam ser pensadas com muito cuidado para evitar exclusão de grupos, já que isso é o oposto que uma universidade pública defende entre suas diretrizes. Daí a necessidade de um planejamento e uma organização bem estruturada para o retorno das atividades presenciais.
Sobre as rotinas, acredito que o atendimento aos alunos será retomada assim que a pandemia passar. Mesmo assim, tenho certeza que o virtual permanecerá como um aliado tanto nas atividades acadêmicas quanto nas administrativas, para agilizar processos, por exemplo. Porém, infelizmente, no momento não vemos um retorno tão cedo.

Você pode gostar...